ADJ Comunicação

Jornalismo e opinião: todo mundo vê!

Morre João Milanez, “Patrão” que marcou a história da Folha de Londrina

Posted by Armando em 08/08/2009

João Milanez, o "patrão", da Folha de Londrina, tratava os empregados como uma grande família

João Milanez, o "patrão", da Folha de Londrina, tratava os empregados como uma grande família

Faleceu na manhã de hoje (8/08), vítima de câncer nos rins e complicações pulmonares, João Milanez, fundador do jornal Folha de Londrina. Catarinense de Meleiro, Seo João, também chamado carinhosamente de “patrão” pelos funcionários antigos do jornal, também fundou as Rádios Folha FM e Cruzeiro FM (denominada hoje de Igapó FM), além da TV Tarobá, em Cascavel.

Sempre ativo, o jornalista e empresário teve problemas cardíacos em 1994 e desde então passou a ter uma série de complicações de saúde. João Milanez sempre esteve presente nos movimentos que levaram ao desenvolvimento de Londrina, tendo por isso participado da fundação da Universidade Estadual de Londrina, Iapar (Instituto  Agronômico do Paraná), Sociedade Rural do Paraná, entre outros órgãos e entidades importantes da cidade.

Alegre e trabalhador, na era da imprensa feita a chumbo, acompanhava de perto a produção do jornal, desde a cobertura de fatos importantes pela redação, como na finalização das matérias nas oficinas, inicialmente instaladas na Avenida Duque de Caxias e, posteriormente, no subsolo do Edifício Bosque, na Rua Piauí. Naquela época, a edição diária da Folha ficava pronta de madrugada. Como os funcionários da gráfica aproveitavam o embalo para “curtir” a agitada noite londrinense, com suas inúmeras boates e belas mulheres atraídas pelo dinheiro abundante da era do café, costumeiramente Seo João comparecia às suas casas gritando fazes do tipo: “acorda desgracido” “vamos trabalhar, vagabundo” e “levanta veiaco”, para depois levá-los ao trabalho.

Nesse périplo, o “Patrão” também aproveitava para fazer refeições nas casas dos empregados sem qualquer cerimônia, num tempo em que a Folha de Londrina era uma grande família. Com toda essa amizade, acabou batizando  diversos filhos dos empregados. O coração bondoso de João Milanez também resultou na construção de dois conjuntos de casas para abrigar os funcionários. O primeiro, com nove casas, foi construído na Rua Riachuelo, Vila Higienópolis, que naquele tempo ficava nos arredores da cidade. Lá foram morar as famílias de Mineiro, Armando Duarte, Nelsinho Pereira, Bonzo, Reinaldo Grotti, Nenê, Nelson Severino, Isnard Cordeiro e de Estélio Feldman.

Foi um gesto muito humano do Seo João construir as casas. Naquele tempo, a relação entre patrão e empregado era muito diferente e existia, de fato, um trabalho de equipe. Foi assim que a Folha de Londrina cresceu e tornou-se referência na imprensa nacional. Infelizmente, os tempos mudaram e a empresa acompanhou essa tendência, deixando para trás o modelo de relações de trabalho que deu certo por décadas.

Atualmente, o que vale é seguir o receituário capitalista, no qual o lucro é o único objetivo e os funcionários são tratados como  números, sujeitos a serem descartados a qualquer momento, como ocorreu com seu fundador, que há tempos deixou de ter o gosto de ver seu nome grafado no expediente do jornal.

Adeus, Patrão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: