ADJ Comunicação

Jornalismo e opinião: todo mundo vê!

Chove, chove chuva… e aumenta o número de bitucas de cigarro nos rios

Posted by Armando em 23/01/2010

Agência de Notícias PR

Falta agora estabelecer o destino das bitucas para evitar danos ao meio ambiente

Para nós, não fumantes, as leis que proíbem o consumo de tabaco em locais públicos resultaram em alívio e qualidade de vida. Passamos a viver longe da fumaça incômoda e do mau-cheiro que ficava impregnado nas roupas, cabelos após longos períodos expostos a ambientes insalubres.

Porém, o rigor das Leis que proibiram o consumo de cigarros em locais públicos agravou ainda mais a situação do meio ambiente. No Paraná, onde não é possível fumar mesmo em locais cobertos próximos às calçadas, os fumantes são obrigados a consumir o tabaco nas calçadas e acabam deixando por lá as bitucas, que depois serão levadas pela chuva aos bueiros e, posteriormente, aos rios.

Com certeza, as autoridades que elaboraram tais Leis não pensaram nesse dano à natureza.  Nem dá para imaginar a quantidade de bitucas de cigarros que agora ficam nas sarjetas e antes eram jogadas nos cinzeiros e eram depositadas nos aterros sanitários. Segundo biólogos, este resíduo, que é feito de acetato de celulose, demora de dois a três anos para ser eliminado pelo ambiente.

Como os estabelecimentos comerciais (bares, restaurantes e similares) não podem disponibilizar cinzeiros aos fumantes, sob pena de estarem estimulando o consumo do tabaco, as bitucas têm como destino a sarjeta. Nestes últimos meses, de chuva intensa em todo o Brasil, esses detritos têm contribuído muito para o entupimento de bueiros e alagamento de cidades. Talvez seja a hora de elaborar uma nova legislação, estabelecendo formas de evitar que esse tipo de material seja descartado incorretamente, aliviando dessa vez a natureza dos males provocados pelo cigarro.

Uma resposta para “Chove, chove chuva… e aumenta o número de bitucas de cigarro nos rios”

  1. Paulo Lima said

    Cianureto, arsênico, benzopireno, uretano, cádmio, polônio, inseticida DDT, acetona,toluidina e mais 3992 outros componentes. Este é o cigarro que agora tem força de lei para poluir ainda mais os nossos rios e lagos. Em Curitiba, conf. Paraná Online/25.01/ Newton Almeida e Marco Charneski são atiradas 1.500 kilos de bituca nas ruas. Já em Londrina , com o advento da lei, quantas bitucas vão parar nos rios e lagos de Londrina??. Os peixes,as aves e a vida do Lago Igapó devem estar adorando o volume de cigarro. Não bastasse o terrorismo ambiental da maioria dos londrinenses, agora tome uma lei que não consegue enxergar o lado da natureza. Cinzeiros nas calçadas dos bares já !! Educação ambiental pra ontem!! Deus nos salve amanhã!!!
    Tomara que as entidades ambientais abracem a causa.

    ADJ – É isso aí, Paulo. Nem sempre nossos legisladores enchergam as coisas como um todo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: