ADJ Comunicação

Jornalismo e opinião: todo mundo vê!

Governador do Paraná apanha feio no debate da RPC-Globo

Posted by Armando em 01/10/2014

Foto debate RPC 30092014 maior

Clique na foto para assistir ao debate da RPC

O Grupo RPC (Rede Paranaense de Comunicação), afiliado à Rede Globo, realizou ontem (30/09), em Curitiba, debate sobre a disputa pelo Governo do Estado do Paraná nas eleições deste ano, com a participação dos oito candidatos. O centro das atenções do programa foi o governador do Estado e candidato à reeleição, Beto Richa (PSDB), que recebeu perguntas ácidas da maioria dos adversários.

Os principais questionamentos a ele foram feitos pelos candidatos Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT), respectivamente, segundo colocado e terceira colocada nas pesquisas de intenção de voto. Os opositores do Governador criticaram sua campanha por não refletir a realidade, mostrando obras e a atração de recursos como se tivessem sido feitos por Richa, quando na verdade fizeram parte de programas do Governo Federal, como, por exemplo, o Minha Casa Minha Vida, nos quais faltaram a chamada contrapartida do Governo Estadual, ou seja, bancar sua parte nos projetos.

Segundo a senadora do PT, o atual governo destinou poucos recursos para a construção de casas populares, o que não daria para edificar nem mesmo 7 mil unidades. Gleisi afirmou que nos últimos anos o Programa Minha Casa Minha Vida construiu mais de 220 mil casas no Paraná.

Em sua defesa, o governador do Paraná alegou que os recursos eram públicos, deixando de informar que as iniciativas partiram do Governo Federal. Gleisi rebateu: “o que eu acho feio é essa apropriação de projetos, que ele (Beto Richa) está fazendo. Quem está encaminhando isso é o Governo Federal junto com os municípios, pois isso foi priorizado”.

Foi assim também em relação à duplicação de rodovias e nos demais investimentos feitos nos últimos quatro anos, a maioria procedente de repasses feitos pela presidente Dilma Rousseff, com a qual o governador do Paraná não manteve boas relações em seu mandato.

Requião disse que o Programa de Incentivo ao Microcrédito, que os investimentos feitos pelas indústrias na Região de Ponta Grossa (Klabin e a Ambev) e a parceria com pequenos agricultores e o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) para fornecer alimentos para a Rede Estadual de Ensino foram viabilizados durante sua gestão e não pelo governador tucano, como prega sua campanha pela reeleição.

Gleisi lembrou que Beto Richa praticamente não terminou praticamente nenhuma obra desde que assumiu o comando do Estado, pela falta de planejamento, o que é fato.

Também sobraram ataques a Requião, como a aposentadoria recebida pelo ex-governador e que seria utilizada por ele para pagar os custos da inúmeras ações a que responde na Justiça por supostas difamações aos seus adversários políticos. Em resposta, o candidato do PMDB lembrou que Beto Richa foi criado com a aposentadoria do pai, José Richa, ex-governador do Paraná, e que este benefício é repassado atualmente por sua mãe, apesar desta nunca ter governado o Estado do Paraná.

Entre outras trocas de acusações e denúncias, Beto Richa limitou-se a reproduzir suas peças de campanha, nas quais tenta passar uma imagem de administrador competente que não condiz com a realidade.

Basta dar uma volta pelo interior do Paraná e constatar que foram poucas as ações do atual governador nos últimos anos, muitas delas sendo encaminhadas aos trancos e barrancos, como é o caso da duplicação da Rodovia PR-445 no trecho que liga Londrina a Cambé, no Norte do Estado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: