ADJ Comunicação

Jornalismo e opinião: todo mundo vê!

  • AGENDA

    julho 2017
    S T Q Q S S D
    « ago    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Assinar

  • Visitas ao Blog

    • 1,111,802 acessos

Archive for the ‘JORNALISMO’ Category

Vida Bancária em Revista nº 15 já está circulando

Posted by Armando em 17/08/2016

VIDA BANCÁRIA EM REVISTA 15 - JULHO 2016 - 21 X 27 cm .inddOs Sindicatos de Bancários de Apucarana, Arapoti e de Londrina, no Norte do Paraná (Brasil), já estão distribuindo a nova edição de Vida Bancária em Revista.

O material, produzido por mim, em parceria com os jornalistas Rogério Fischer, Mariana Pachoal, Vera Barão e Ivo Akio, traz reportagens sobre a vida do bancário e da bancária fora do local de trabalho.

O destaque desta edição é o grupo de funcionários do Banco do Brasil, em Londrina, que aproveita os dias de folga para visitar refúgios ecológicos em busca de aventuras, paz e contemplação do que a natureza tem de melhor.

Em pouco mais de quatro anos eles já fizeram cerca de 12 passeios. O mais longo e mais interessante foi na Chapada Diamantina, na Bahia, onde o grupo visitou inúmeras cavernas e conheceu um dos lugares mais lindos do país.

Vida Bancária em Revista também ouviu como foi o ingresso de Pessoas com Deficiência nos bancos, dando sequência às reportagens a respeito das chamadas “minorias” e suas dificuldades na carreira profissional e a luta por igualdade na sociedade. Em outra reportagem desta edição bancários revelam como iniciaram o hobby de colecionar carrinhos em miniaturas, demonstrando que esta é uma brincadeira que não se restringe às crianças.

Para não deixar as questões sindicais de lado, a Revista faz um relato da Conferência Regional Vida Bancária e da Estadual, preparando o espírito da categoria para mais uma Campanha Nacional Unificada. Nas páginas centrais, a Revista detalha as principais ameaças que a Classe Trabalhadora está correndo com projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional estabelecendo mudanças na legislação para retirar direitos históricos.

Tem ainda informações sobre a ExpoJapão, festa realizada anualmente em Londrina e que teve este ano sua 55ª edição, com atividades voltadas para preservar e elevar a cultura nipônica no Norte do Paraná. O roteiro turístico apontado nesta edição é o Castelo Eldorado, localizado em Marilândia do Sul. O local já foi chamado de “República de Eldorado”, abrigou a maior serraria do Brasil e nos arredores do prédio, construído por volta de 1940, foram realizadas diversos eventos esportivos e culturais entre as décadas de 70 e 90.

Leia ainda o legado ecológico do “pai da aviação”, Santos Dumont, com sua luta pela criação do Parque Nacional do Iguaçu; e a sensação do bancário Adriano Malvezi de ter sido um dos condutores da Tocha Olímpica em Londrina, entre outras informações desta edição.

Clique aqui para ler Vida Bancária em Revista nº 15.

Para ler as edições anteriores clique no link: http://www.vidabancaria.com.br/informativos/revista-vida-bancaria

Posted in JORNALISMO, VIDA BANCÁRIA | Etiquetado: | Leave a Comment »

PEC que restabelece Diploma dos jornalistas é aprovada em 2º turno no Senado

Posted by Armando em 08/08/2012

Com 60 votos favoráveis e apenas 4 contrários, a PEC 33/09, que restabelece a exigência de diploma de curso superior em Jornalismo para o exercício da profissão de Jornalista foi aprovada no Senado nesta terça-feira (7/8). A comitiva de profissionais e estudantes de Jornalismo, que acompanhou e comemorou a decisão, permanece em Brasília para articulações na Câmara dos Deputados, que também terá que apreciar a matéria.

Na Câmara, a mobilização é necessária para estabelecer contatos com lideranças da Câmara dos Deputados, visando a definição de uma estratégia para acelerar a tramitação da PEC 33/09 em conjunto com a PEC 386/09, de autoria do deputado Paulo Pimenta (PT/RS).

Com a aprovação das PEC nas duas casas, a obrigatoriedade do Diploma para exercício da profissão de jornalistas será encaminhada para sanção da presidente Dilma Rousseff, a quem caberá colocá-la em vigor, restabelecendo a regulamentação da categoria.

A sessão

As articulações de bastidores ampliaram o clima tenso da sessão desta terça-feira no Senado. De um lado, parlamentares que resistiam à PEC 33/09 buscavam manobras de plenário para esvaziar o quorum e protelar a votação. De outro, senadores apoiadores da proposta, respaldados pela mobilização da FENAJ, Sindicatos de Jornalistas e estudantes, buscavam conter as medidas protelatórias, pressionar pela votação e convocar parlamentares a virem ao plenário.

Comitivas da FENAJ, dos Sindicatos dos Jornalistas de Alagoas, do Amazonas, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Goiás, que também trouxe uma delegação de estudantes para participar da mobilização, movimentaram-se desde a manhã desta terça-feira em Brasília. Além de contatos com lideranças do Senado, construíram alianças pela aprovação, também, do PLS 344/08, que estabelece critérios de ingresso nas universidades federais e estaduais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio para estudantes de escolas públicas, e do PLS 652/11, que dispõe sobre a aposentadoria especial dos garçons.

Compromisso público

A tensão aumentou quando cresceram as manobras para tentar adiar a votação da PEC 33. Prevaleceu, no entanto, a pressão da caravana dos jornalistas e as intervenções dos senadores Antonio Carlos Valadares (PSB/SE), autor da PEC, Inácio Arruda (PCdoB/CE), relator da matéria, e da senadora Lídice da Mata (PSB/BA). Os três parlamentares cobraram o compromisso público assumido pelas lideranças partidárias já no final do ano passado, quando a PEC/33 foi aprovada em 1º turno, e no início do primeiro semestre de 2012, de votar a matéria.

Por volta das 20h30, a PEC dos Jornalistas foi colocada em discussão e votação. A primeira fala, única contrária a manifestar-se no microfone, foi do senador Aluysio Nunes (PSDB/SP). Sucederam-se diversas outras favoráveis à proposta. Quando o painel do Senado registrou, às 21h7min, o resultado da votação, jornalistas e estudantes comemoram. Instantes depois o resultado da votação espalhava-se pela internet.

Câmara dos Deputados é o novo palco da luta

“O Senado mostrou sintonia e sensibilidade com o desejo da sociedade e dos jornalistas pela qualificação e valorização do jornalismo. Temos certeza de que, com mais luta e mobilização, a Câmara dos Deputados fará o mesmo”, considera o presidente da FENAJ, Celso Schröder.

A comitiva dos jornalistas permanece em Brasília nesta quarta-feira, reforçada por dirigentes de outros Sindicatos de Jornalistas e de uma delegação de dirigentes sindicais e estudantes de São Paulo. A mobilização se voltará para contatos com lideranças da Câmara dos Deputados, visando a definição de uma estratégia para acelerar a tramitação da PEC 33/09 em conjunto com a PEC 386/09, de autoria do deputado Paulo Pimenta (PT/RS).

Fonte: FENAJ

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: , | Leave a Comment »

Senado discute em fase final PEC que restabelece exigência de diploma para a profissão de jornalista

Posted by Armando em 11/05/2012

A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 033/09, que restabelece a obrigatoriedade do diploma de Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo – para o exercício da profissão de jornalista tramitou ontem (9/05) no Plenário do Senado Federal, na primeira sessão de discussão em segundo turno.

Segundo informou a Agência Senado, agora a PEC constará da Ordem do Dia por três sessões deliberativas consecutivas.Apresentada por Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), a PEC dos Jornalistas acrescenta novo artigo à Constituição, o 220-A, estabelecendo que o exercício da profissão de jornalista é “privativo do portador de diploma de Curso Superior de Comunicação Social, com Habilitação em Jornalismo, expedido por curso reconhecido pelo Ministério da Educação”.

A matéria mantém a figura do colaborador, sem vínculo empregatício, e são validados os registros obtidos por profissionais sem diploma no período anterior à mudança na Constituição prevista pela PEC.A PEC 033/09 surgiu da mobilização nacional da categoria, coordenada pela FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), com o objetivo de manter a regulamentação profissional para o exercício da profissão em razão da decisão tomada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), em junho de 2009, de revogar a exigência do diploma.

De 1º julho de 2010 a 29 de junho de 2011, foram concedidos 11.877 registros de jornalista pelo Ministério do Trabalho e Emprego, sendo 7.113 entregues mediante a apresentação do diploma e 4.764 com base na decisão do STF.

Fonte: Agência Senado

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: , , | Leave a Comment »

Senado aprova PEC que restabelece exigência do Diploma para jornalista

Posted by Armando em 01/12/2011

O Plenário do Senado aprovou em sessão realizada ontem (30/11), em Brasília, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que restabelece a exigência do Diploma para o exercício da profissão de jornalista. A votação registrou 65 votos favoráveis e apenas sete contrários à proposta de regulamentação da categoria, que foi derrubada no dia 17 de junho de 2009 pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

A PEC 033/09, de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE), foi aprovada no ano passado pelas comissões do Senado e há 11 meses aguardava a votação em Plenário. Desde então, a FENAJ vinha mobilizando a categoria e realizando contatos junto aos senadores para que a matéria fosse votada.

Agora, a PEC do Diploma será apreciada em segundo turno no Senado. Na Câmara dos deputados tramita a PEC 386/09, que também versa sobre o mesmo objetivo.

Entre os senadores contrários à regulamentação da profissão de jornalista estão os senadores Fernando Collor de Mello (PTB/AL), empresário do ramo de comunicação, e Demóstenes Torres (DEM/GO). Ambos criticaram a PEC 033/09, os cursos de Comunicação Social que forma jornalistas e se posicionaram favoravelmente à decisão do STF, com argumentos nada convincentes.

No texto aprovado fica garantido o Registro de jornalista para quem conseguiu este documento junto ao Ministério do Trabalho e Emprego com base na decisão do STF e aos colaboradores, como já era permitido no Decreto Lei 83.284, que regulamenta a profissão.

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: | Leave a Comment »

Jornalistas do PR fecham com empresas a Convenção 2010/2011

Posted by Armando em 03/08/2011

Os Sindicatos dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná (que abrange Londrina, Maringá e Região) e do Paraná (Sindijor) assinaram na semana passada a Convenção Coletiva de Trabalho 2010/2011, superando o impasse que marcou a Campanha Salarial da categoria iniciada no ano passado. O documento protocolado ontem (1º/08) no na Superintendência do Ministério do Trabalho e Emprego em Curitiba prevê o reajuste de 5% nos salários e demais verbas, retroativo a outubro de 2010.

Desta forma, o piso salarial de jornalista para o Paraná ficou em R$ 2.151,56. As empresas deverão pagar as diferenças em parcela única na folha de agosto, incluindo os valores correspondentes às férias e ao  13º salário. O reajuste contempla 4,68% referentes à inflação acumulada (INPC) de outubro/2009 a setembro/2010, mas 0,32 de aumento real.

A categoria conquistou nesta Convenção Coletiva, a ampliação da Licença-maternidade para 180 dias, direito que passou a vigorar a partir do dia 1º de agosto de 2011 em função do atraso nas negociações entre as partes. Os profissionais demitidos depois do dia 1º/10/2010 têm direito ao reajuste proporcional nas verbas rescisórias. Clique no link para conferir a Convenção Coletiva 2010/2011 dos jornalistas profissionais do Paraná.

Consulte a Tabela de Frila da categoria no site do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná.

Posted in JORNALISMO | Etiquetado: | Leave a Comment »

Jornalista aposentado após 1996 pode requerer correção do benefício junto ao INSS

Posted by Armando em 04/03/2011

Os jornalistas que se aposentaram após outubro de 1996 podem ingressar na Justiça para requerer ao INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) a correção dos benefícios. Segundo informações divulgadas pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo, desde que naquela época  não tenha sido computado no cálculo do benefício o período referente à aposentadoria especial, instituída pela Lei 3.529, de 1959.

Em 1996, o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) promoveu a “Reforma da Previdência”, eliminando o direito à aposentadoria especial de jornalista e de outras categorias. O jornalista com registro no Ministério do Trabalho e que atuava em empresa jornalística tinha direito a requerer a aposentadoria aos 30 anos de serviço, para homens, e aos 25, para as mulheres, e a receber 100% do salário de benefício. Desde então, todos os jornalistas foram enquadrados no regime geral da Previdência e o INSS não utilizou no cálculo das aposentadorias o tempo referente à aposentadoria especial.

Quem se aposentou após 14/10/1996, data em que foi aprovada a “Reforma da Previdência”, pode requerer que seja computado o tempo de serviço anterior, levando em conta o regime especial. No cálculo também devem ser acrescidos 17%, que é a porcentagem equivalente à ampliação do tempo de contribuição estabelecida pela tal “Reforma”.

O resultado desta conta será um tempo maior de serviço pelo jornalista, decorrente da mudança das regras, o que implicará na correção do valor atual do benefício de quem se aposentou após outubro de 1996. Este direito também pode ser pleiteado por trabalhadores de outras categorias profissionais que eram abrangidos pelo regime de aposentadoria especial antes da aprovação dessa “Reforma”.

Veja mais detalhes sobre os cálculos e explicações a respeito deste direito no site do Sindicato os Jornalistas Profissionais de São Paulo.

Leia também como surgiu esta jurisprudência sobre a aposentadoria especial visitando o site do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná.

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: , | Leave a Comment »

Senado pode votar PEC do Diploma na sessão da próxima terça

Posted by Armando em 10/12/2010

A votação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 033/09,  que restabelece a obrigatoriedade do Diploma de Curso de Jornalismo para exercer a profissão, pode ocorrer na sessão do Senado da próxima terça-feira (14/12). A matéria está na pauta da Ordem do Dia do Plenário, mas não foi submetida à apreciação dos senadores na última quarta-feira (8/12) por uma decisão dos líderes dos partidos.

Segundo informações da FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), naquele dia havia quórum, mas as atenções estavam voltadas para o pronunciamento do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que estava se despedindo daquela casa. A assessoria de imprensa do Senado afirmou que na sessão do dia 8 de dezembro nenhuma PEC foi votada.

Assim, a PEC do Diploma para jornalista pode ser submetida à apreciação dos senadores na sessão da próxima terça-feira (14/12), caso haja acordo entre as lideranças partidárias. Até lá, a FENAJ orienta a categoria a manter a mobilização para conseguir os votos necessários para aprovação da PEC 033/09. De acordo com o Placar do Diploma, 61 senadores são favoráveis à matéria, apenas quatro se declararam contrários e 16 ainda estão em dúvida. Para ser aprovada serão necessários 49 votos.

Dos quatro senadores que são contra a volta da regulamentação da profissão de jornalista, três são do DEM e o outro é o ex-presidente cassado e também proprietário de empresas de comunicação, Fernando Collor de Mello (PTB).

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: , | Leave a Comment »

Jornalistas do PR dizem não aos cortes nos direitos e sim ao aumento real nos salários

Posted by Armando em 06/11/2010

Os Sindicatos dos Jornalistas Profissionais do Paraná e do Norte do Paraná e o Sindicato das empresas de rádio, TV e impressos realizaram ontem (5/11), em Curitiba, mais uma rodada de negociação. Na oportunidade, os representantes dos jornalistas ressaltaram a importância da pauta de reivindicações, que foi construída com base em números do mercado (balanços de empresas de comunicação, levantamentos do Projeto Inter-meios, o momento da economia e reajustes nas tabelas de anúncios dos veículos).

Segundo Ayoub Hanna Ayoub, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná, nos últimos três anos as empresas acumularam aumento no faturamento de 16%, mas, no entanto, os jornalistas só receberam no mesmo período a reposição da inflação. “Estamos há 14 anos sem aumento real, ao mesmo tempo em que diversas outras categorias profissionais do País vêm negociando, com sucesso, índices de reajuste salarial acima da inflação desde 2004. As empresas precisam seguir essa tendência, como forma de valorizar seus profissionais, como outros setores da economia fazem”, cobra Ayoub.

De acordo com ele, os sindicalistas também “rechaçaram” a proposta patronal, de trocar o anuênio por um índice de apenas 1% de aumento real, e outras que visam tão somente a redução de direitos. Após este debate foi definido entre as partes a realização de nova rodada de negociação no dia 17 de novembro, em Curitiba, na qual as empresas deverão apresentar uma contraproposta para os jornalistas. Segundo Ayoub, foi cobrada uma proposta que tenha pelo menos aumento real, ampliação da Licença-maternidade para 180 dias e manutenção dos atuais direitos da categoria.

Mobilização fortalecida

 

As atividades de pressão contra as empresas de rádio, TV e impressos do Paraná continuarão nos próximos dias. O representante dos patrões, advogado Carlos Ribas Santiago, disse que não há boas perspectivas de ser apresentada uma resposta na próxima reunião. Diante dissa postura, os jornalistas profissionais do Estado ampliarão as atividades para mostrar às empresas que estão unidos e não aceitam a redução de direitos e querem avanços na Campanha Salarial deste ano. A mobilização visa demonstrar a insatisfação com a falta de incentivos nas políticas de pessoal das empresas de comunicação do Paraná.

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: , | Leave a Comment »

Empresas de comunicação do Paraná recuam na intenção de reduzir direitos dos jornalistas

Posted by Armando em 20/10/2010

O protesto em Londrina ocorreu em frente às emissoras RPC e Rede Massa. Foto: Juliana Mastelini

A rodada de negociação entre o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná, representando o Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná e a categoria em todo o Estado, e o Sindicato das Empresas de rádio, TV e impressos, realizada na última segunda-feira (18/10), em Curitiba, foi acompanhada de protestos na capital e em Londrina. Cerca de 60 pessoas, entre profissionais e estudantes, portando faixas com o mote da Campanha Salarial 2010: “Não pise no meu Piso”, promoveram um apitaço em frente à Aerp (Associação da Empresas de Radiodifusão do Paraná. Em Londrina, aproximadamente 20 pessoas, reunindo jornalistas, diretores do Sindicato e estudantes, também protestaram em defesa do piso em frente à RPC, Rede Massa e Jornal de Londrina.

Durante a reunião os patrões receberam como resposta à proposta de redução do piso salarial para o interior, corte no adicional de horas extras e congelamento do anuênio um sonoro “NÃO”. Os sindicalistas informaram aos representantes das empresas que as Assembleias realizadas nas diversas cidades do Estado rejeitaram, por unanimidade, a redução dos direitos.

Diante deste posicionamento e da mobilização da categoria, o Sindicato patronal retiram sua proposta e nova rodada de negociação foi agendada para as 14h00 do próximo dia 25 de outubro, na sede do SindJor/PR, em Curitiba. Na avaliação do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná, Ayoub Hanna Ayoub, a decisão das empresas reflete a insatisfação demonstrada pelos jornalistas de todo o Estado, que se rebelaram contra o piso de R$ 1.200,00 para o interior e a redução de outros direitos.

“Estamos programando novas ações para reforçar a Campanha “Não pise no meu Piso” e para pressionar os patrões a discutirem nossa pauta de reivindicações. Não podemos admitir a perda de direitos no momento em que outros setores da sociedade negociam acordos com vantagens para os trabalhadores, inclusive com ótimos índices de aumento real de salário, como ocorreu na semana passada, por exemplo, com os bancários”, argumenta Ayoub.

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: , | Leave a Comment »

Federação Nacional dos Jornalistas divulga Carta aos presidenciáveis

Posted by Armando em 18/10/2010

A FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas) emitiu Carta no dia 15 de outubro, na qual reivindica aos candidatos à Presidência da República, Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB), se comprometam com as bandeiras de democratização da comunicação, liberdade de imprensa e de expressão, conforme aprovado na I Conferência Nacional de Comunicação, realizada em dezembro de 2009. Leia abaixo a  Carta da FENAJ:

CARTA ABERTA AOS PRESIDENCIÁVEIS

Os jornalistas brasileiros, legitimamente representados pela FENAJ e os seus 31 Sindicatos filiados, vêm a público reivindicar dos candidatos à Presidência da República que se comprometam com as bandeiras da democratização da comunicação e com a defesa do Jornalismo como bem público essencial à democracia, e dos jornalistas como categoria profissional responsável pela efetivação do direito da sociedade à informação.

Há no país uma ação permanente patrocinada pelos grandes grupos de comunicação para desqualificar o Jornalismo, confundindo propositadamente a produção de informação com entretenimento, ficção e mera opinião. Igualmente, a categoria dos jornalistas sofre ataques à sua constituição e organização.

Por isso, mais uma vez, os jornalistas brasileiros afirmam a defesa da regulamentação da profissão e conclamam a futura ou futuro presidente a apoiar a luta pela aprovação das Propostas de Emendas Constitucionais (PECs), em tramitação no Congresso Nacional, que restituem a exigência da formação de nível superior específica para o exercício do Jornalismo.

Nossa categoria entende que a luta pela regulamentação da profissão e pela democracia da comunicação é de interesse público. Baseada nesta compreensão, pede a continuidade da Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) como instância democrática e plural de discussão e deliberação das políticas públicas para o setor.

Afirmamos a necessidade de o governo brasileiro dar sequência às decisões da 1ª Confecom, destacando como prioridade a criação do Conselho Nacional de Comunicação como instância deliberativa, do Conselho Federal de Jornalistas (CFJ) e do Código de Ética do Jornalismo assim como a aprovação de uma nova e democrática Lei de Imprensa para o país.

Os jornalistas brasileiros têm a certeza de que o futuro ou futura presidente da República comprometer-se-á com a construção desse grande projeto nacional porque significa a defesa da Liberdade de Expressão e Imprensa e da democracia no Jornalismo, na Comunicação e no Brasil.

FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas

Brasília, 15 de outubro de 2010.

Posted in JORNALISMO, NOTÍCIA | Etiquetado: , | Leave a Comment »

 
%d blogueiros gostam disto: